Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Casamento gay foi «demasiado politizado». IOL Diário. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 11 Fevereiro 2010 17:07

Padre jesuíta afirma que a Igreja não é contra a união homossexual

 

O padre jesuíta Carlos Carneiro declarou que o casamento gay foi «demasiado politizado» e que não é essa a melhor forma de assegurar os interesses dos homossexuais, acolhidos e respeitados pela Igreja, avança a Lusa.

«A Igreja acolhe-os, não há aqui perseguição a nenhum grupo. Não é contra a união civil dos homossexuais, acha é que a fórmula encontrada não é a que promove melhor as suas pretensões», afirmou o padre, acrescentando que deveria ser feita uma lei para assegurar os direitos civis dos homossexuais.

«O casamento (entre pessoas do mesmo sexo) cria outra dificuldade, que julgo que os homossexuais também não querem, que é a tal confusão sobre o que é afinal o casamento», sustentou.

Para o padre jesuíta, a paróquia «tem de respeitar as pessoas na sua diferença» e hoje «tem uma abertura à pluralidade de pessoas, com culturas e experiências religiosas diversificadas», devendo assumir um «papel mais activo no anúncio da fé».

Não deixar à paróquia «um trabalho meramente espiritual nem quase concorrencial como o Estado» é o desafio que Carlos Carneiro irá lançar no Colóquio Nacional de Paróquias, em Coimbra.

«Se as pessoas se sentem satisfeitas com a sua vida, o emprego, o ordenado, a casa, a família, não passam além disso, não têm outro tipo de interesses. Este é o problema mais difícil (da Igreja): como sensibilizar para a transcendência, a eternidade, pessoas que não mostram necessidade de tratar desses assuntos», concluiu o padre.

 

Ler artigo no contexto original

Actualizado em Quinta, 11 Fevereiro 2010 21:23