Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Radiografia da sociedade portuguesa na Internet. Diário de Notícias. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 24 Fevereiro 2010 17:16

Estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos denuncia quebra de natalidade e de casamentos nos últimos 40 anos

 

Texto de Filipa Ambrósio de Sousa

Foto de Orlando Almeida

 

 

bebé  

Uma população mais envelhecida, mas em que a esperança de vida aumentou, menos casamentos e mais divórcios e uma população com mais mulheres que homens. Esta é a mais extensa radiografia da sociedade portuguesa dos últimos 40 anos disponiblizada na Internet, um estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos, presidido por António Barreto, e que passou a estar disponível em www.pordata.pt desde ontem.

A quebra de natalidade é um dos aspectos mais flagrantes: se em 1960 o número de nascimentos era de 24% face ao número total de portugueses, já em 2008 foi apenas de 9,8%. Ao longo destes 40 anos, a tendência tem sido sempre a descer. Nos anos 80 do século passado era de 16,% e no início de 1990 era apenas 11,7%.

"A queda de natalidade foi colossal", explica António Barreto, um dos autores da base de dados à Lusa. "Estamos em vias de ser a sociedade mais envelhecida da Europa e éramos a mais jovem nos anos 60. Mas ao mesmo tempo aumentou a esperança de vida."

Estas conclusões podem ser analisadas na base de dados que passou a estar disponível de forma gratuita desde ontem, num site que reúne estatísticas da população portuguesa, na área da saúde, educação, justiça, Segurança Social, entre outras.

Já este ano, o DN avançou que a crise económica e a incerteza do emprego resultaram numa queda de nascimentos em Portugal no ano passado, a mais baixa da década. Os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) mostravam que nos primeiros seis meses do ano passado nasceram 47 738 bebés em Portugal, uma quebra de 4,5% em relação ao ano anterior.

Segundo o estudo online, os casamentos também registaram uma descida nas últimas quatro décadas: em 1960 eram quase 70 mil os casamentos registados e em 2008 foram apenas 43 mil.

Um fosso ainda maior verifica-se no divórcio: na década de 60 o número não excedeu os mil casos e em 2008 já foram 26 mil casos.

Segundo o mesmo estudo - que vai actualizando online alguns dados minuto a minuto, como as despesas gastas pelo Estado em educação ou ainda o número de jornais em circulação - actualmente existem 10 356 000 portugueses. Apenas mais dois milhões do que há quarenta anos. Sendo que a população com mais de 75 anos passou de 238 mil para 701 mil, de 1960 para 2001. E os jovens com menos de 15 anos eram, em 2001, 1 656 000, enquanto em 1960 foram registados 2 591 000.

No que respeita ao sexo feminino, as mulheres continuam a dominar em questões numéricas: em 2001 existiam 5 355 000 mulheres no País inteiro e 5 milhões de homens. Uma realidade que não contrasta muito com os anos 60: cerca de 4 634 000 mulheres para 4 254 000 homens.

"O objectivo é o de dar ferramentas aos cidadãos que lhes permitam formar a sua opinião com base em factos e não apenas com base em opiniões", concluiu António Barreto.

A Fundação Francisco Manuel dos Santos foi criada há um ano pela família de Alexandre Soares dos Santos, que controla o grupo de distribuição Jerónimo Martins, dos supermercados Pingo Doce.

 

Ler notícia no contexto original