Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Irlanda reconhece direitos de casais homossexuais. A Folha online. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Segunda, 19 Julho 2010 23:49

Texto da Agência EFE

 

A presidente da República da Irlanda, Mary McAleese, ratificou a nova lei de Relações Civis, que, pela primeira vez neste país concede reconhecimento legal de fato aos casais de mesmo sexo.

Dado que a Irlanda não permite ainda os casamentos entre homossexuais, a nova legislação reconhece os direitos dos casais de gays e lésbicas.

Por exemplo, os que moram juntos terão amparo legal em questões de propriedade imobiliária, bem-estar social, direitos de sucessão, manutenção, previdência e impostos.

Após a assinatura hoje pela chefe de Estado, o ministro de Justiça e Interior irlandês, Dermot Ahern, assegurou que a nova lei é um dos textos mais importantes "sobre direitos civis desde a independência" do país (1921).

CASAMENTO GAY

Na semana passada a Argentina tornou-se o primeiro país da América Latina a ter uma lei específica sobre o casamento gay, alterando a noção de união entre duas pessoas no Código Civil.

A lei, que já havia sido sancionada pela Câmara de Deputados, foi validada pelos senadores com 33 votos a favor, 27 contra e três abstenções, depois de mais de 14 horas de discussões.

 

mapa

Com a aprovação no Senado e na Câmara, o projeto de lei segue agora para o Executivo. A presidente Cristina Kirchner, em visita à China, havia declarado anteriormente que não vetaria a norma caso ela fosse validada no Parlamento.

Na Argentina, a Lei de União Civil da cidade de Buenos Aires, aprovada no final de 2002, foi o primeiro antecedente no país. Agora, contudo, o país se torna o primeiro na América Latina a reconhecer o casamento gay nacionalmente.

O projeto, caso seja sancionado, garante a gays e lésbicas os mesmos direitos e responsabilidades de casais heterossexuais. Isto inclui muito mais direitos do que as uniões civis --legalizadas também no Brasil--, incluindo adoção e direito a herança.

Apenas quatro cidades argentinas admitiam a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Desde dezembro, pelo menos oito casais homossexuais se casaram no país mediante recursos judiciais, mas alguns enlaces foram posteriormente cancelados.

 

Ler notícia no contexto original