Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Adoptar uma criança em Portugal demora em média três anos . Rádio Renascença. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 27 Janeiro 2011 17:04
Estudo fala num processo desgastante, demorado e burocrático cujas regras diferem consoante o distrito.


 

adoção Um estudo realizado pela Deco/Proteste, junto de candidatos e de pessoas que conseguiram adoptar uma criança, concluiu que o processo em Portugal demora em média três anos.

Neste estudo, a que a Renascença teve acesso, são também apontadas várias falhas que decorrem ao longo do processo de adopção.

Adoptar uma criança em Portugal é um processo desgastante, demorado e burocrático cujas regras diferem consoante o distrito, segundo o inquérito estatístico da Deco /Proteste. Os inquiridos esperaram, em média, três anos. Mas 12% aguardaram mais de cinco anos.

Aguentar o tempo de espera, é de resto uma das preocupações manifestadas pelos inquiridos como revela o responsável pelo estudo, Osvaldo Santos. ??Cerca de 50% das pessoas estão insatisfeitas com o processo: o ponto principal é a duração e, também, a informação que vão tendo sobre o processo de candidatura ao longo do tempo?. Outra das falhas apontadas, é a falta de apoio psicológico durante o processo.

Dar um bom lar a uma criança que vive institucionalizada é a principal motivação dos pais adoptivos (70%), seguindo-se uma família (59%) e ultrapassar problemas de fertilidade (35%).

O principal factor que pode levar a desistir é a idade da criança. Em média, os três anos são a idade considerada aceitável, mas muitos candidatos estão dispostos a ficar com crianças com mais de cinco anos.

Segundo o último relatório do Ministério do Trabalho, no ano 2009, havia 9.563 crianças em instituições de acolhimento.

 

 

 

 

Ouvir notícia no contexto original