Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Portugal é o único país em que homossexuais podem casar mas não adoptar, diz BE. Jornal Público. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 01 Fevereiro 2012 00:00

 O BE defendeu nesta quarta-feira que a adopção por casais homossexuais responde ao superior interesse das crianças e sublinhou que Portugal é o único país em que pessoas do mesmo sexo podem casar mas não adoptar.

 

 ??? uma resposta a uma realidade única no mundo. Portugal é o único país em que o casamento entre pessoas do mesmo sexo se encontra consagrado, mas a adopção não é possível por casais mesmo sexo?, disse a deputada Cecília Honório, numa declaração no Parlamento.

O Parlamento debate no próximo dia 24 dois projectos do Bloco de Esquerda que visam eliminar a proibição de os casais homossexuais adoptarem crianças, assim como alargar a co-adopção a casos de casamentos e uniões de facto entre pessoas do mesmo sexo.

A deputada defendeu que esta iniciativa do BE é assim ??uma resposta em nome da democracia plena? e, por outro lado, ??daquele que é o superior interesse das crianças?.

??As crianças precisam de ser acolhidas por quem tem amor e condições, é esse o seu superior interesse, não é continuarem institucionalizadas?, acrescentou.

A deputada considerou que ??não é aceitável? nem próprio de uma ??democracia moderna? que alguns casais sejam impedido de adoptar só por causa da sua orientação sexual.

O Bloco leva à Assembleia da República esta questão depois de em Janeiro de 2010 o Parlamento ter chumbado as propostas do BE e do PEV que previam o casamento homossexual sem excluir a adopção de crianças por estes casais, ao contrário da proposta que acabou por ser aprovada, com a qual o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo passou a ser legal em Portugal.

Cecília Honório destacou que ??o ruído da direita? aquando da aprovação do casamento homossexual ??não deu em nada? e que a ??sociedade aceitou com toda tranquilidade? essa mudança, ??como seria de esperar?.

??Vamos dar um passo em frente, a democracia assim o exige?, afirmou.

 

 

Ler notícia no contexto original