Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Governo escocês liberaliza casamento mas mantém tradição. Jornal Diário de Notícias. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 19 Março 2013 10:27

Por Elisa David

 

O novo projeto de lei sobre o casamento e a união civil na Escócia pretende legalizar a celebração de casamentos por celebrantes pertencentes a grupos não-religiosos, mas garante que a reputação das cerimónias escocesas vai continuar a ser protegida.

 

A Free Church of Scotland (Igreja Livre da Escócia), formada em 1843, não concorda que as cerimónias civis e as cerimónias religiosas sejam colocadas sob a mesma categoria.

Iver Martin, porta-voz e reverendo da Igreja Livre da Escócia, disse à BBC que a terceira categoria (na qual estão inseridos os casamentos civis e religiosos) "é bastante surpreendente, porque é uma pseudo-categoria que não define realmente nenhum tipo de crença".
Segundo o projeto-lei, os casamentos escoceses podem ser celebrados por um ministro, um pastor, um padre, uma figura reconhecida por corpo religioso, um celebrante de um culto ou de uma crença legalmente aceite ou alguém temporariamente autorizado para liderar cerimónias de união civil.
Todavia, Martin explica a recusa da igreja em aceitar a mudança. "Existem muitas pessoas para quem as crenças significam qualquer coisa - como a Flat Earth Society [que defende que o Planeta Terra é, de facto, plano em vez de esférico] ou a Jedi Knights Society [do franchise Guerra das Estrelas que atuam do lado bom da Força]", conta.
"Eu não estou a dizer que não aceitamos esse tipo de crença pessoal, mas se começa a fazer este tipo de concessões, faz-se qualquer coisa", acrescenta o reverendo.
O governo escocês está seguro da viabilidade do projeto-lei e avança que: "A nossa revisão atual abrange, não só a legalização do casamento de pessoas do mesmo sexo, mas também a pormenorização de protecções importantes dos organismos religiosos existentes e dos celebrantes, mantendo a liberdade de expressão e de educação".

 

 

Ler notícia no contexto original