Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

Governo britânico quer aprovar casamento gay antes de 2015. Follha online Versão para impressão Enviar por E-mail
Quinta, 15 Março 2012 20:29

Por Agência EFE

 

Apesar das ferozes críticas de grupos religiosos, o governo do conservador David Cameron detalhou nesta quinta-feira sua proposta para legalizar os casamentos homossexuais no Reino Unido antes de 2015.

Seguindo o exemplo de Espanha, Holanda, Canadá e Argentina, o Executivo britânico apresentou hoje um plano, que será submetido a uma consulta de três meses antes de iniciar sua tramitação parlamentar, com o qual pretende possibilitar que pessoas do mesmo sexo se casem também no civil.

Desde 2005, no Reino Unido os gays e lésbicas podem optar pela união civil, uma figura jurídica que dá praticamente os mesmos direitos que o casamento, com exceção do nome.

"O casamento é uma celebração do amor e deve estar aberto a todo mundo", disse hoje a secretária de Igualdade britânica, Lynne Featherstone, ao apresentar a proposta do governo para legalizar as bodas entre homossexuais.



OPOSI??O

O governo de coalizão entre conservadores e liberal-democratas demonstrou hoje uma vontade contundente na hora de realizar a controvertida mudança legislativa que teve que ser atrasada durante um ano pelas virulentas críticas das igrejas anglicana e católica.

Seus responsáveis consideram que os políticos não deveriam atrever-se a redefinir o conceito de casamento e o cardeal católico Keith O'Brien chegou a qualificar de "grotesca" uma ideia que, segundo ele, "envergonha o Reino Unido diante do mundo".

Neste sentido, a responsável pela Igualdade do governo acusou hoje os líderes religiosos de "inflamar as chamas da homofobia".

Segundo o texto apresentado, que foi homologado também pela ministra de Interior, a conservadora Theresa Mai, o governo quer autorizar os casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo, mas proíbe que sejam realizados em igrejas, como propunham alguns ativistas.

Além disso, os homossexuais que já desfrutam de uma união civil poderão transformá-la em casamento, mediante a correspondente certidão, e os casais nos quais um de seus membros mude de sexo não terão que anular seu contrato matrimonial.

"Para colocar de forma simples, não é certo que a um casal que se ama e deseja formalizar esse compromisso seja negado.

 

Ler notícia no contexto original