Procura

Contactos

 Os nossos e-mails:
 cidadaniaecasamento@gmail.com

 Para organização de debates:
debate@casamentomesmosexo.org

 Para envio de documentos:
documentos@casamentomesmosexo.org

 Contacto de imprensa:
imprensa@casamentomesmosexo.org


 A nossa morada:
 Apartado 50.003, 1701-001 Lisboa
 PORTUGAL

 

Ajude-nos

 Transferência bancária:

 NIB 0010 0000 4379 5060 0013 0

 

PE rejeita relatório de Inês Zuber sobre direitos das mulheres. Jornal i. Versão para impressão Enviar por E-mail
Terça, 11 Março 2014 23:33

??? uma vergonha?, disse Inês Zuber, intervindo no final da votação, adiantando ainda lamentar "o sinal que o PE deu hoje? de ser contra os direitos das mulheres

 

Por Agência LUSA

 

 

Parlamento Europeu

 

 

A eurodeputada Inês Zuber (PCP) classificou hoje com ??uma vergonha? o ??chumbo??, pelo Parlamento Europeu (PE), do seu relatório sobre a evolução da igualdade entre mulheres e homens na União Europeia (UE), relativo a 2012.

O relatório da eurodeputada foi rejeitado por uma curta margem de 298 contra, 289 a favor e 87 abstenções.

??? uma vergonha?, disse Inês Zuber, intervindo no final da votação, adiantando ainda lamentar "o sinal que o PE deu hoje? de ser contra os direitos das mulheres.

??Este é um sinal vergonhoso dado pelo Parlamento Europeu. Parece que nem no papel esta casa é a favor dos direitos das mulheres?, acrescentou.

Inês Zuber acrescentou ainda que ??estas não são boas notícias para as mulheres que sofrem nos países onde os programas da ??troika?? devastaram vidas?.

No relatório, a deputada ?? que integra a comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Géneros do PE ?? apontava para questões que têm que ver com a crise e a forma como a crise tem implicação no empobrecimento das mulheres, na sua condição económica e na forma como isso repercute nas questões da igualdade.

O documento sublinhava o retrocesso em termos de igualdade entre homens e mulheres como uma das consequências dos programas de assistência financeira da ??troika??.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa

 

 

Ler notícia no contexto original