Pediatras Americanos apoiam casamento gay. Pais e Filhos. Versão para impressão
Escrito por Administrator   
Quinta, 21 Março 2013 20:18

2homensE1bebe

 

Pela primeira vez, a Associação Americana de Pediatria (AAP) pronunciou-se sobre o casamento homossexual, considerando que os direitos de uma criança ao ter dois pais ou duas mães legalmente unidos ficam reforçados, noticia o ??Público?.

Numa declaração tornada pública nesta quinta-feira, a associação, que representa mais de 60 mil pediatras nos Estados Unidos, conclui que é do interesse da criança que os seus progenitores, sejam gays ou lésbicas, se casem, se essa for a sua intenção, garantindo ao menor o acesso aos benefícios sociais e legais resultantes da união civil.

A posição da AAP surge numa altura em que se aguarda uma decisão do Supremo Tribunal norte-americano sobre a contestação à Lei de Defesa do Casamento, aprovada há 17 anos. Até ao final de Março, o Supremo irá decidir se o casamento homossexual deixará de ser proibido a nível federal.

Em 2010, a Associação Americana de Pediatria tinha já afirmado o seu apoio a iniciativas que ??permitam a casais de pessoas do mesmo sexo adotar e co-educar crianças". Agora, a AAP, através da sua publicação ??Pediatrics?, defende que a igualdade no acesso ao casamento ??pode ajudar a reduzir o estigma social que os pais gays e mães lésbicas e a suas crianças enfrentam? e nesse sentido ??melhorar a estabilidade social, aceitação e apoio? a estas famílias.

A associação considera que as crianças criadas por pais casados ??beneficiam dos estatutos sociais e legais que o casamento civil atribui aos pais? e acima de tudo da ??segurança de ter carinho e cuidados permanentes?. Por outro lado, caso a união civil não seja uma ??opção viável? para os progenitores, a AAP defende que as crianças ??não devem ser privadas da oportunidade do acolhimento temporário ou adoção por pais solteiros ou casais, independentemente da sua orientação sexual?. A AAP sublinha que neste caso o apoio das instituições públicas e da comunidade é ??vital? para garantir o bem-estar da criança.

 

 

Ler notícia no contexto original