"Certas coisas podem fazer mal". Jornal Diário de Notícias. Versão para impressão
Escrito por Administrator   
Quarta, 10 Fevereiro 2010 14:04

A Plataforma Cidadania e Casamento levou ontem à Comissão dos Assuntos Constitucionais um constitucionalista, Jonathas Machado. Este, porém, foi muito além da questão jurídica.

Disse, por exemplo, que "é óbvio que se se legalizar o casamento ninguém morre". Mas logo acrescentando: "Assim como ninguem morre quando começa a fumar ou a beber...portanto ninguem morre nesse momento mas há certas coisas que podem fazer mal aos indivíduos e às sociedades."

Falou também de potenciais "conflitos" futuros quando o casamento gay for legalizado. Por exemplo: "Há pessoas que têm restaurantes, etc., e não querem servir banquetes para casamentos homossexuais..."

Além do mais, não entende por que razão é apenas legalizado o casamento entre pessoas do mesmo sexo. ? que, explicou, "há mais de 20 orientações sexuais: a bissexualidade, a zoofilia, etc." E, portanto, "quando se diz que a homossexualidade é uma orientação sexual pode perguntar-se mas porque é que só esta é que deve ser considerada de forma especial, há tantas outras..."

Para revolta do deputado do PS Miguel Vale de Almeida (o primeiro homossexual assumido a ter assento na AR), revelou ainda a existência de "estudos sociológicos" que, segundo garantiu, provam que as uniões entre pessoas do mesmo sexo são "mais promíscuas, mais violentas e mais instáveis".

Dito de outra forma: tudo se encaminha para um "certo decaimento da sociedade". Porque - sublinhou - "a alteração de um pilar da sociedade pode comprometer toda a sociedade".

 

Ler artigo no contexto original

Actualizado em Quarta, 10 Fevereiro 2010 15:05